Aceder ao conteúdo

Netflix reduz tráfego onde é mais preciso enquanto mantém o nível de experiência dos membros

Netflix reduz tráfego onde é mais preciso enquanto mantém o nível de experiência dos membros

Atualização de 21 de abril de 2020: Informamos que estamos a trabalhar com os fornecedores de serviços de internet (ISP) no sentido de aumentar a capacidade dos serviços. Só no último mês, quadriplicámos a capacidade normal. Quando as condições melhorarem, suspenderemos as limitações atualmente em vigor. 

Estamos a passar por uma crise global, e todos temos a responsabilidade de ajudar como podemos. Na semana passada, a União Europeia pediu a empresas como Netflix, Amazon e YouTube para se assegurarem de que estão a usar as redes de telecomunicação da forma mais eficiente possível, tendo em conta a procura sem precedentes que enfrentam.

Conseguimos imediatamente desenvolver, testar e aplicar uma forma de reduzir o tráfego da Netflix nestas redes em 25% — começando por Itália e Espanha, que estão a sofrer o maior impacto. Atingimos esse objetivo em 48 horas e estamos agora a alargar o processo ao resto da Europa e ao Reino Unido.

Desde que começámos a implementar estas alterações, temos recebido várias questões dos nossos membros e dos nossos parceiros fornecedores de serviços de internet (ISP). 

Os nossos membros perguntaram-nos qual será o impacto destas medidas na qualidade de imagem. Respondendo de forma simples: as medidas que tomámos mantêm a qualidade máxima da resolução de imagem. De modo que quem tenha pago por Ultra-Alta Definição (UHD), Alta definição (HD), ou Definição Padrão (SD) deve continuar a poder desfrutar do serviço em conformidade (dependendo do dispositivo usado). 

Em circunstâncias normais, temos diversas (às vezes, dezenas) de opções de streaming para um único título, em cada resolução. Na Europa, limitámo-nos a remover as opções de streaming de maior largura de banda durante os próximos 30 dias. Aqueles que se preocupam com a qualidade de imagem acima de tudo podem notar uma ligeira perda de qualidade em cada resolução, mas continuarão a receber aquilo que pagaram.

Por sua vez, alguns ISP de regiões, como a América Latina, querem que reduzamos a largura de banda assim que for possível, enquanto outros não desejam alterações. Isto é compreensível, já que os diversos ISP do mundo inteiro construíram as suas redes de forma diferente e estão a operar com diferentes limitações. Por exemplo, construir uma rede residencial de um ISP numa zona urbana densamente habitada é bem diferente de construir uma rede residencial de um ISP numa área rural esparsamente habitada. Alguns ISP constroem as suas redes com uma elevada capacidade em excesso (para espaço de manobra), enquanto outros não o fazem. Felizmente, temos bastante experiência em disponibilizar a Netflix de forma eficiente através do nosso programa Open Connect, assim como de outras tecnologias que desenvolvemos, de modo a podermos responder rapidamente a este tipo de cenários. 

É desta forma que vamos ajudar os ISP que estão a lidar com as pesadas medidas governamentais para os estados de "calamidade": oferecer a redução de 25% no tráfego que implementámos na Europa. No que toca a outras redes, vamos manter os nossos procedimentos normais, exceto se também começarem a sentir problemas.

O nosso objetivo é simples: manter a qualidade do serviço para os nossos membros, ao mesmo tempo que continuamos a apoiar os ISP que estão a passar por limitações sem precedentes nas suas redes. 

— Ken Florance, VP Content Delivery

Netflix Open Connect