Aceder ao conteúdo

Índice de Velocidade dos ISP, novo e melhorado (1)

Índice de Velocidade dos ISP, novo e melhorado (1)

Na Netflix, gostamos de dar o controlo aos nossos membros, oferecendo-lhes entretenimento fantástico através do nosso serviço quando quiserem, onde quiserem, no dispositivo que quiserem usar. Ao escolher a Netflix, os nossos membros esperam usufruir de uma experiência fluida e ininterrupta. 

Para que os nossos membros em mais de 190 países possam ver em streaming na Netflix, o vídeo tem de ser convertido num formato codificado, a que chamamos ‘encode’. Criámos recentemente novos formatos de codificação que permitem apresentar os conteúdos com uma qualidade igual ou superior à que temos tido até aqui, usando um tamanho de ficheiro (ou débito binário) menor. Estas codificações mais eficientes representam uma enorme vantagem quer para os nossos membros, que podem usufruir de uma experiência de streaming de áudio e vídeo com maior qualidade com uma largura de banda igual ou inferior, quer para os ISP (fornecedores de serviços Internet), que veem baixar a taxa de utilização das suas redes. 

Paralelamente à implementação de codificações mais eficientes em larga escala na Netflix, também atualizámos o nosso relatório do Índice de Velocidade dos ISP introduzindo uma nova medida de desempenho, para que possa acompanhar os desenvolvimentos realizados ao nível do streaming e da codificação. O Índice de Velocidade dos ISP foi criado para identificar quais os ISP que proporcionam a melhor experiência de streaming na Netflix em horário nobre. Anteriormente, com a forma como medíamos o desempenho dos ISP, dois ISPs com a mesma taxa de Megabits por segundo (Mbps) continuavam a poder proporcionar experiências de qualidade diferentes, em função do dispositivo que estivesse a ser usado para ver. A nova medida de desempenho tem em conta as diferenças entre o(s) dispositivo(s), o(s) esquema(s) de codificação que cada membro utiliza, bem como o respetivo plano Netflix. Por outras palavras, agora comparamos os fornecedores em igualdade de circunstâncias (salvo no que diz respeito ao tráfego nas redes móveis). 

É importante ressalvar que os ISP que oferecem uma experiência Netflix de alta qualidade aos membros continuarão a ocupar os lugares cimeiros na nossa classificação. Apenas impedimos que fatores alheios ao controlo dos ISP, como sejam a combinação de dispositivos que o membro usa, influenciem a respetiva velocidade e classificação.

Para além de atualizar a medição da velocidade dos ISP, aproveitámos esta oportunidade para substituir também a nossa classificação por outra mais relevante e fácil de usar. A partir de agora, as velocidades dos ISP serão arredondadas para os 0,2 Mbps acima, em vez de para os 0,01 Mbps, como anteriormente, uma vez que diferenças de qualidade inferiores a 0,2 Mbps parecem ser pouco significativas para os membros da Netflix. Por outro lado, o nosso sistema de classificação da velocidade dos ISP permite agora, e pela primeira vez, atribuir um nível de desempenho igual a vários ISP. Por exemplo, nos Estados Unidos, sete ISP partilham o primeiro lugar da classificação. Da mesma forma, o último relatório refere sete países e regiões no topo da classificação. A Tailândia, a Suíça, os Países Baixos, Hong Kong, a Bélgica e a Austrália registam no seu conjunto uma velocidade global média de 3,8 Mbps.

Para refletir estas alterações, o site do Índice de Velocidade dos ISP tem também um novo visual. 

O nosso objetivo mantém-se: oferecer aos milhões de membros da Netflix entretenimento que adoram com a melhor experiência de visualização possível; e este é o motivo pelo qual o Índice de Velocidade dos ISP Speed continuará a ser um instrumento indispensável.